Astronomia

Astronomia na vida cotidiana, histórica e moderna.

About

Esse é um espaço para quem gosta de Astronomia, Astrologia, Cosmologia, Astrofísica, viagens espaciais, Teoria da Relatividade, Mecânica Celeste e tudo referente ao Ciências Espaciais.

Antes de questionar, para não me fazer perder tempo, lembre-se, o autor estudou nos bacharelados universitários de Química e Física, sinta-se à vontade, OK!

Aqui reuno textos e antigos não necessariamente de minha autoria, a maioria das vezes só serve de viés reprodutor de informações relevantes. O diferencial do blog com relação a outros na web, é que aqui, o blog não é fiel ao dogma e sectarismo cientificista, você pode encontrar comentários de artigos das bases científica classe A, até textos antigos de astronomia árabe ou mesopotâmica.

OBJETIVO: Divulgar as ciências astronômicas em todos os apectos, históricos, populares, científicos ontológicos e epistemológicos(blaargg!!), em fim, divulgar algumas novidades da Astronomia e áreas do conhecimento relacionadas.

VISÃO: Ao curso de sua existêncie se tornar uma mini biblioteca online completa sobre astronomia e ciências celestes.

MISSÃO: Oferecer informações de astronomia confiáveis que sirvam de bases para citações, estudos e curiosidades.

MEMORIAL: Este blog foi criado por volta de 2007 e passou por inúmeras experiências, como por exemplo, já saiu do ar várias vezes por diversas razões, já mudou de nome quando se tornou astrosofia.com, já serviu de base dados científicos etc... agora ele tem esse formato em 2017.

Astronomia

A pouca presença da Astronomia na Educação Básica tem a ver com um pragmatismo não estritamente brasileiro nem tão recente. Ela, que era um dos quatro componentes do quadrivium da educação medieval, foi gradualmente banida dos currículos oficiais e, por largo tempo, esteve ausente na educação básica brasileira, exceto pela apresentação de seus aspectos básicos em disciplinas como Geografia e Ciências no Ensino Fundamental. Recentemente, no entanto, as regulamentações oficiais, tanto na esfera federal quanto nas estaduais, indicam que temas de astronomia devem ser contemplados na Educação Básica nacional. Em oposição à falta de material pedagógico adequado para desenvolver esses temas na educação formal, a popularização da Astronomia encontra nos planetários um ambiente rico e promissor. Um olhar mais amplo sobre as relações que povos de todas as épocas tiveram com o céu revela que elas são indissociáveis dos valores e visões de mundo que cada civilização desenvolveu. Conhecer o céu era necessário não só por razões de sobrevivência, para determinar as épocas de chuvas e estiagem com objetivos agrícolas, mas também para identificar nas configurações dos astros respostas para o destino humano. Os mitos de criação do mundo e os astros vistos como deuses foram personagens centrais de muitas culturas e, de inúmeras maneiras, continuam presentes em nossos dias, mais frequentemente por conta de convicções religiosas, mas também pela percepção mítica dos modelos cosmológicos contemporâneos de base científica. A evolução da Astronomia como ciência se deu inicialmente em linha de continuidade com as percepções de regularidade do céu de práticas religiosas e protocientíficas. Quando a Astronomia se apresentou científica, já contava com milênios de observação e na sua evolução, muitas vezes, estiveram presentes aspectos não racionais do ponto de vista científico. No presente trabalho, por meio de pesquisa bibliográfica, buscamos indicar uma linha de ação que auxilie na superação do pragmatismo na educação, utilizando a Astronomia como fio condutor. (Kantor, 2012)